Ao mesmo tempo que o Compliance tem o papel de verificar as normas e padrões externos exigidos e de criar as normas e padrões internos necessários, é preciso que se verifique periodicamente se esses padrões e normas estão sendo seguidos. Para a execução dessa função existe o papel do Controle Interno, avaliando a aplicação e verificando as dificuldades existentes afim de melhorar os processos internos de forma contínua.

De nada vale ter padrões e normais internas de trabalho na empresa se elas não forem devidamente seguidas. Isso tem impacto na confiabilidade e tempestividades das informações geradas pelos controles internos existentes.

A confiabilidade diz respeito a exatidão de determinada informação, já a tempestividade está relacionada a velocidade em que o dado gerado é transformado em informação útil para tomada de decisão, pois a informação tende a perder a sua relevância a medida que o tempo passa.

Uma área de bastante importante quando se fala de controles internos é a parte financeira do negócio. Pois ela sempre reflete, cedo ou tarde, as decisões dos gestores.

Consideramos 3 fases empresariais:

Fase 1 – Vendas
Fase 2 – Controles
Fase 3 – Resultados

Implantar controles internos eficientes, em uma empresa que está na fase 1 tende a ser um grande desafio, pois passa a ser algo menos prioritário para seus gestores. A medida que o negócio cresce e passa para fase 2, ter bons controles internos passa a ser algo prioritário para o gestor, pois ele sente a necessidade de saber o desempenho do negócio com base em números reais.

Podemos apontar como as principais dificuldades na implantação de controles internos os seguintes pontos:

 Baixo nível de maturidade do negócio
 Baixo nível de maturidade empresarial dos gestores
 Baixo nível de qualificação da equipe
 Tamanho da equipe reduzido
 Falta de boas ferramentas disponíveis (software, planilhas)
 Particularidades do negócio (modelos de negócios novos tendem a ter mais dificuldades em ter acesso a ferramentas adaptadas a sua realidade)

Ter um controle interno eficiente permite que a empresa conheça as informações financeiras do seu negócio, algo fundamental para adoção de indicadores de desempenho, planejamento de metas vendas, planejamento de ações estratégicas, análise do negócio com seu mercado de atuação, reajustes de preços, definição de serviços e produtos prioritárias, reposicionamento do negócio, entre outros fatores.

Tudo isso permite que o gestor passe a tomar decisões com base em números reais, deixando de lado o famoso “achômetro” (aquele modo de tomar decisões com base na intuição). Num mercado onde a competividade é cada vez maior é indispensável a profissionalização na tomada de decisão da empresa. Para isso a implantação de Compliance e do Controle Interno tem papel fundamental.

Como começar:

 Conheça seu negócio
 Identifique os processos mais importantes
 Identifique os pontos de controle desses processos
 Defina o papel das pessoas
 Escolha uma ferramenta para o controle
 Defina a periodicidade
 Treinamento e melhoria (Ciclo PDCA)
 Auditoria dos dados
 Preparação das informações
 Análise dos relatórios

7 certificações em treinamentos administrativos e financeiros;
• MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria – FGV;
• 6 anos de experiência em consultoria empresarial;
• 10 anos de vivência organizacional;
• Experiência como Gerente Administrativo e Financeiro de empresa de comercio e serviços ;
• Orientação de alunos da UFPB em projetos de TCC;
• Orientação Financeira para Empresa Júnior – IFPB.