O contexto de governança corporativa vem direcionando a atuação estratégica das organizações. Observa-se que quanto maior for o compromisso, a responsabilidade social e a transparência da empresa perante à sociedade, maior será seu valor de mercado e seu potencial para atração de investidores (GARCIA-MECA; SÁNCHES-ALLESTA, 2009).

A adoção das boas práticas de governança corporativa é requisito fundamental para as empresas negociáveis no mercado de capitais, especialmente em países onde a proteção legal ao investidor tem espaço para ser melhorada. Nos países que oferecem maior proteção legal para os investidores, com existência de garantias da aplicação do conjunto de leis e regras do mercado, o desenvolvimento do mercado de capitais se deu de forma mais rápida, como foi o caso dos Estados Unidos e Inglaterra (BEDICKS, 2008).

Percebo que o acesso ao assunto de governança corporativa para PME´s está bastante distante da realidade, o que contribui para o processo de insolvência da maioria. Com o mercado extremamente competitivo as empresas que partem para um projeto de implementação do modelo de Governança Corporativa garantem sustentabilidade no longo prazo.

A garantia de sustentabilidade no longo prazo não tem relação direta com Lucro Líquido. A sustentabilidade no longo prazo está alinhada com o ROE e EVA.

Acredito que não existe espaço para empresas sobreviverem no mercado sem boas práticas de governança, que permeia por toda organização pautada nos 03 pilares (processos, pessoas e tecnologia).

Participe do Workshop – Governança: Formação e Desenvolvimento Profissional dia 16/05

Saiba mais e faça a sua inscrição -> http://bit.ly/artblogov